Pera Rocha

Com uma cor, textura e sabor apetecíveis e ainda uma excelente capacidade de conservação, a Pêra Rocha do Oeste é uma variedade atrativa sob qualquer ponto de vista.

Porque é resistente ao manuseamento e ao transporte (mesmo de longa distância) e porque possui uma grande capacidade de conservação na “prateleira” a Pêra Rocha do Oeste é um produto adaptável aos modernos sistemas de distribuição e permite a utilização de qualquer tipo de embalagem. Graças às suas qualidades, são insignificantes as perdas de sabor durante o período de armazenamento.

A sua cor amarela permite criar uma imagem atraente quando apresentada com outras variedades de pêras (verdes ou avermelhadas). Entre os principais clientes de Pêra Rocha do Oeste, contam-se algumas das melhores cadeias de retalho da Europa e América.

Também para o consumidor a Pêra Rocha do Oeste é uma aquisição vantajosa que se justifica pela sua extrema qualidade e agradável sabor. A “Pêra Rocha do Oeste” é uma fruta excelente para ser consumida como sobremesa ou entre as refeições.

Comercialização

  • jan

  • fev

  • mar

  • abr

  • mai

  • jun

  • jul

  • ago

  • set

  • out

  • nov

  • dez

História

A história da Pêra Rocha remonta a 1836 onde foi identificada no concelho de Sintra, na propriedade do Senhor Pedro António Rocha, uma pereira diferente, com frutos de qualidade invulgar, cuja denominação de origem é atualmente a “Pêra Rocha do Oeste - DOP”, variedade exclusivamente Portuguesa concentrada na região Oeste, ladeada pela orla marítima atlântica desde Sintra até Leiria.

Produção de pera Rocha em Portugal:

 O Oeste destaca-se pela elevada aptidão agrícola, sobretudo na produção de Pêra Rocha, destacando-se o Cadaval com uma área de cultivo de 2.073 hectares e um expressivo crescimento na última década.

> 1000 ha
500 a 1000 ha
100 a 500 ha
< 100 ha

A área de produção da Pêra Rocha do Oeste abrange os seguintes concelhos:

  • Sintra, de onde é originária, estimando-se que atualmente existam apenas 120ha de pereiras, dispersos por pequenas explorações de carácter familiar;
  • Os oito principais concelhos produtores: Cadaval, Bombarral, Torres Vedras, Caldas da Rainha, Alcobaça, Lourinhã, Óbidos e Mafra;
  • Mais Catorze concelhos da zona Oeste embora sem presença significativa. Produz-se a variedade Pêra Rocha, embora em menores quantidades no Alentejo (Ferreira do Alentejo e Elvas), Trás-os-Montes (Carrazeda de Ansiães), Minho (Braga) e Beira Interior (Lamego, Guarda, Manteigas, Covilhã, Belmonte e Fundão).

Registam-se também aumentos de área de cultivo nos concelhos de Caldas da Rainha e Torres Vedras, originando atualmente uma maior concentração no eixo constituído por estes quatro concelhos.

Porquê consumir uma Rocha do Oeste!

A Pêra Rocha do Oeste é uma opção benéfica para o consumidor, o que se justifica pela sua extrema qualidade e agradável sabor. A Pêra Rocha do Oeste é uma fruta excelente para ser consumida como sobremesa ou entre as refeições, crua ou em preparações culinárias.

As Pêras são consideradas a fruta por excelência para a primeira infância. A ROCHA DO OESTE produzida num modo eco-sustentável é o fruto ideal para introduzir na alimentação e é salutar o hábito de proteger o corpo com alimentos saudáveis. Mais difícil que proteger o nosso bebé, é proteger e conservar os bons hábitos alimentares dos nossos filhos ao longo da sua vida.

Os gostos variam na forma de saborear esta variedade. Usualmente os jovens preferem-na mais “ crocante “, isto é, com uma textura mais firme, enquanto as pessoas de mais idade preferem os frutos mais fundentes, aromáticos, saborosos e suculentos – em suma, mais maduros.

Pera Morettini

Pera Morettini

Resultado de um cruzamento entre as variedades Coscia e William, a Morettini é uma variedade de excelência.

A Pêra Morettini é um fruto de tamanho médio a grande, com epiderme lisa de cor amarelo palha, apresentando uma cor vermelha na face exposta ao sol. De rico sabor levemente acidulado, a polpa é branca e compacta, aromática, sucosa e açucarada.

Comercialização

  • jan

  • fev

  • mar

  • abr

  • mai

  • jun

  • jul

  • ago

  • set

  • out

  • nov

  • dez

Maçã Royal Gala

Maçã Royal Gala

Com origem na Nova Zelândia, a maçã Royal Gala é hoje uma variedade interessante pela sua boa conservação, coloração e sabor.

A sua cor vermelho-estriado e brilhante, caraterizada pela sua forma redondo-cônica e tamanho variável, torna-a uma das frutas mais conhecidas do mundo. A cor da polpa da maçã Royal Gala é branca e a sua consistência é crocante e sumarenta.

Cultivada em climas temperados, a Royal Gala é reconhecida pelo seu potencial nutritivo, contém teores elevados de potássio, fósforo, cálcio e fibra.

Comercialização

  • jan

  • fev

  • mar

  • abr

  • mai

  • jun

  • jul

  • ago

  • set

  • out

  • nov

  • dez

Maçã Fuji

Maçã Fuji

Proveniente do Japão, a maçã Fuji é uma variedade de forma achatada. A sua cor varia entre o carmesim e uma mistura de manchas vermelhas com verde amarelado.

De sabor levemente acidulado, açucarado a maçã Fuji tem polpa branca, mais densa e crocante do que muitas outras variedades de maçãs, o que a torna popular entre os consumidores do mundo inteiro.

Comercialização

  • jan

  • fev

  • mar

  • abr

  • mai

  • jun

  • jul

  • ago

  • set

  • out

  • nov

  • dez

  • BRC Food
  • LEAF
  • Nature
  • PME Líder
  • Global Gap
  • Proteção Integrada